O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

  Pagina Inicial Tradutor Cursos Artigos Vídeos Fotos Calendário Ecológico Eventos Quem somos Contato  

 

Artigos
*Roubaram a calada da noite?
Tamanho da letra

Crianças e adultos das grandes cidades muitas vezes experimentam uma sensação de deslumbre quando viajam para o interior e, ao cair da noite, se deparam com um céu cheio de luz e brilho.

Somente em lugares com menor quantidade de luzes artificiais, é possível apreciar o esplendor do céu noturno.Nem o melhor parque de diversões é capaz de produzir tamanho efeito. Na antiguidade contudo, os astros eram soberanos, norteando as direções e povoando o imaginário humano com muitas histórias e lendas.

O autor norte-americano Paul Bogard garante em um de seus livros “The End of Night: Searching for Natural Darkness in an Age of Artificial Light” (“O fim da noite: Buscando a escuridão natural na era da luz artificial”) que a escuridão no planeta é um recurso natural ameaçado e que definitivamente não deve ser ofuscado.

Hoje é totalmente possível aferir a intensidade de luz artificial de cada local, utilizando uma ferramenta conhecida como “a escala de Bortle”, que varia de um a dez. Para enxergar a Via Láctea, por exemplo, é preciso estar em um lugar que esteja em até três ou quatro nessa escala.

Nas cidades de médio e grande porte, essa escala varia entre seis e nove, índice que o autor considera como poluição luminosa. Bogard prevê que oito de cada dez crianças nascidas nos EUA possivelmente não verão a Via Láctea a olho nu, devido à iluminação que consegue neutralizar o seu brilho por completo.

De modo geral, as administrações das cidades acreditam que os projetos de iluminação pública oferecem mais segurança aos cidadãos, mas Bogard discorda. Garante, por base em estudos científicos, que a bandidagem também se sente mais segura para realizar as suas ações quando o ambiente é iluminado.

O autor critica ainda os incomensuráveis gastos energéticos com essas luzes artificiais, segundo ele muito acima do que é necessário. Afirma também que esses projetos de iluminação não são adequados e diminuem os contrastes na percepção do olho humano.

Bogard acredita definitivamente que o resplandecer da humanidade não combina com o anoitecer da luz natural.

Artigo escrito por Mauro Vianna


Imagem:Stellarium / Céu de acordo com a Escala de Bortle
Fonte: Resposta Sustentáveis

   
       
 
14/07/2018 - *ECO21 – Nunca o meio ambiente esteve tão ameaçado no Brasil
24/06/2018 - *Brasil X Costa Rica: pentacampeão do futebol perde de goleada em conservação do meio ambiente
18/05/2018 -  *O homem contemporâneo e sua relação com o meio ambiente
06/11/2017 - *PIB + PIV, será que temos um novo foco de luz no final do túnel?
10/09/2017 - *O ambiente, lá e cá
26/08/2016 - *Reflorestamentos que produzem alimentos
09/08/2016 - * Desastres lentos e graduais
26/05/2016 - *Conservação e Preservação do Meio Ambiente
05/05/2016 - * Crianças que não brincam na natureza, não se preocupam em protegê-la

 

     
Notícias | Tradutor | Cursos | Artigos | Vídeos | Fotos | Calendário Ecológico | Eventos | Quem Somos | Contato
© Copyright 2011 Meio Ambiente News - Todos os direitos reservados