O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

  Pagina Inicial Tradutor Cursos Artigos Vídeos Fotos Calendário Ecológico Eventos Quem somos Contato  

 

Queimadas
Poluio das queimadas provoca doenas oculares
Tamanho da letra


07 / 08 / 2008

 

A rota do biocombustível deu origem a 200 novas usinas no País e a mais de 4 milhões de hectares com plantação de cana-de-açúcar só no estado de São Paulo. Segundo o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, a má notícia é que sem prevenção este investimento coloca a saúde ocular em risco.

Isso porque, a previsão do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) é de que nos meses de agosto e setembro as queimadas devem atingir níveis críticos no País.

Queiroz Neto explica que a piora da qualidade do ar contribui para a maior evaporação da lágrima que tem a função de proteger os olhos das agressões externas. Significa que mesmo quem tem boa saúde ocular fica mais vulnerável às doenças.
    
Ele afirma que a população rural merece atenção especial. Isso porque no campo é mais freqüente a ceratite fúngica, inflamação que pode causar graves lesões na córnea, perfuração e até a perda da visão. Isso acontece, observa, porque lavradores mantêm os olhos mais expostos a traumas por partículas contaminadas durante o trabalho.

Outros grupos de risco são: pessoas mal nutridas, imunodeprimidas, que já têm doenças pré-existentes na córnea, como por exemplo, herpes, e usuários de lentes de contato por manuseio e manutenção incorretos.
    
O especialista adverte que os sintomas da ceratite são bastante parecidos com os da conjuntivite: olhos vermelhos, dor, lacrimejamento, sensibilidade à luz e visão borrada. Os tratamentos, entretanto, são bastante diferentes e exigem diagnóstico médico já que a instilação de colírio impróprio pode levar à perda irreparável da visão.
    
Como proteger os olhos -  Outro problema que pode decorrer da poluição é a conjuntivite tóxica, inflamação da conjuntiva, membrana que recobre as pálpebras e superfície ocular. Queiroz Neto explica que é favorecida pela transpiração e oleosidade da pele que permitem a penetração dos poluentes nos olhos.
    
Ele diz que a poluição também agrava a síndrome do olho seco, uma alteração em um dos três ingredientes da lágrima – água, proteína e gordura. A combinação de frio, estiagem e poluição fazem a síndrome do olho seco atingir 20% da população contra 10% no restante do ano.

A síndrome, observa, também pode ser causada por: ar seco, uso intensivo de computador, menopausa, envelhecimento que reduz em até 60% a produção lacrimal, doenças auto-imune, uso de pílula anticoncepcional e medicamentos para hipertensão, alergia, digestão, depressão, disfunções da tireóide ou inflamações.

Os sintomas são olhos vermelhos, ardência, fotofobia (aversão à luz), vista embaçada e cansaço visual.

 Para eliminar o desconforto do olho seco o tratamento é feito com colírio de lágrima artificial. Quem pensa que qualquer colírio resolve o problema, se engana. Existem diversos tipos de lubrificante e cada um atua de uma forma sobre a lágrima.

Por isso é necessário passar por avaliação médica para diagnosticar qual das camadas está sofrendo alteração para usar a medicação correta.

 Fonte: 24 Horas News/MT

   
       
 
24/05/2011 - Como funcionam as queimadas
09/09/2009 - Fogo na floresta objeto de estudo
23/09/2008 - Queimadas-Documentos
17/09/2008 - Queimada Controlada
17/09/2008 - Queimada - Definio
07/08/2008 - Poluio das queimadas provoca doenas oculares
01/03/2008 -  Queimadas continuam a destruir floresta brasileira
01/03/2008 - INCNDIOS E QUEIMADAS FLORESTAIS
29/08/2007 - Incndios Florestais

 

     
Notícias | Tradutor | Cursos | Artigos | Vídeos | Fotos | Calendário Ecológico | Eventos | Quem Somos | Contato
© Copyright 2011 Meio Ambiente News - Todos os direitos reservados