O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

  Pagina Inicial Tradutor Cursos Artigos Vídeos Fotos Calendário Ecológico Eventos Quem somos Contato  

 

Notícias
Fábricas de cimento recebem resíduos de óleo da costa brasileira
Tamanho da letra

O Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), criado para acompanhar a crise gerada pela mancha de óleo derramada na costa brasileira, informou, em nota, que algumas empresas dos estados do nordeste estão recebendo os resíduos do óleo recolhidos para dar uma destinação adequada.

“As fábricas de cimento Votorantim, em Sergipe e Ceará; Apodi, no Ceará; Intercement e CTR-Resíduos, na Bahia; e Mizu, no Rio Grande do Norte, estão recebendo os resíduos de óleo recolhidos nas regiões atingidas, colaborando com as ações do GAA na destinação final do material oleoso”, disse a nota.

O GAA é formado pela Marinha, pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

O GAA informou ainda que os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe estão com a destinação final dos resíduos oleosos direcionada a fábricas de cimento ou aterro industrial, ambientalmente adequados.

Ainda segundo a nota, os estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Ceará estão com as praias limpas.

No entanto, amostras de óleo encontradas no último fim de semana em praias do Rio de Janeiro foram recolhidas e enviadas para análise.

Foram recolhidas amostras nas praias de Santa Clara e Guriri, no município de São Francisco de Itabapoana; e na praia do Barreto, em Macaé-RJ.

Já no canal das flechas, em Quissamã, foi recolhido, aproximadamente, 1 quilo de resíduo de óleo.

Segundo informações do GAA, desde quando o óleo se espalhou pela costa brasileira, no início de setembro, 722 localidades foram atingidas.

O grupo de acompanhamento orienta às pessoas que avistarem óleo nas praias a ligarem para o número 185.

Foto:Adema/Governo de Sergipe
Fonte:Agência Brasil

   
       
 
05/12/2019 - Em audiência, Célio Studart defende fim da matança de jumentos para consumo
05/12/2019 - Número de onça-pintadas volta a crescer na mata atlântica; diz censo
05/12/2019 - *O papel econômico e ambiental do sucateiro
05/12/2019 - Prefeitura contrata consultoria para trazer cemitérios ao século XXI
05/12/2019 - Semicondutores degradáveis e que esticam para aplicações de saúde e meio ambiente
05/12/2019 - Uber do entulho' ajuda no descarte adequado de resíduos
03/12/2019 - Filme biodegradável feito com fécula do cará pode reduzir uso de plástico na Amazônia
03/12/2019 - 300 milhões de pessoas ameaçadas por alta dos oceanos: “evolução do clima é irremediável”
03/12/2019 - Energia solar cresceu mais entre empresas no Brasil em 2019

 

     
Notícias | Tradutor | Cursos | Artigos | Vídeos | Fotos | Calendário Ecológico | Eventos | Quem Somos | Contato
© Copyright 2011 Meio Ambiente News - Todos os direitos reservados