O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

  Pagina Inicial Tradutor Cursos Artigos Vídeos Fotos Calendário Ecológico Eventos Quem somos Contato  

 

Notícias
Londres vai plantar 11 km de corredor de flores para estimular abelhas polinizadoras
Tamanho da letra


Krupa Sheth plantando sementes de flores silvestres no bairro londrino de Brent

Mais de 97% dos campos de flores silvestres do Reino Unido desapareceram desde a Segunda Guerra Mundial

Um conselho regional em Londres está cultivando um “corredor de abelhas” de 11 quilômetros de flores silvestres, em um esforço para aumentar o número de insetos polinizadores neste verão.

O Brent Council, no norte de Londres, está semeando 22 campos de flores silvestres nos parques e espaços abertos da cidade, que juntos formarão 50 mil metros quadrados de novos espaços floridos e se estenderão sete quilômetros de comprimento.

O conselho disse acreditar que a iniciativa é a primeira do gênero na capital.

A autoridade disse que os trabalhadores estavam arando parcelas de terras que foram escolhidas como áreas de pasto.

Uma vez que o solo esteja pronto, as sementes, incluindo robin esfarrapado, prímula e papoula comum, serão semeadas para incentivar mais visitas de insetos polinizadores.

Krupa Sheth, principal membro do conselho para o meio ambiente, disse: “As abelhas e outros insetos são extremamente importantes para polinizar as plantações que fornecem os alimentos que comemos”.

“Devemos fazer tudo o que pudermos para ajudá-los a prosperar. Estou orgulhosa do compromisso de Brent em aumentar a biodiversidade no bairro e estou ansiosa para ver os prados em plena floração em apenas alguns meses”.

O conselho do Brent anunciou seus planos para o corredor das abelhas logo após um importante relatório da ONU detalhar o impacto devastador que os seres humanos continuam tendo no mundo natural.

A Plataforma Intergovernamental de Políticas Científicas sobre Serviços de Biodiversidade e Ecossistemas (IPBES) disse que o número de mamíferos selvagens caíram 82% desde 1980, o espaço para os ecossistemas naturais caiu pela metade e um milhão de espécies correm o risco de extinção como resultado da ação humana.

O Brent Council também citou um estudo separado publicado na revista Nature, que mostrou uma enorme queda no número de insetos polinizadores em todo o Reino Unido desde os anos 80.

O estudo indicou que a perda de habitats selvagens teve um papel importante nisso, com mais de 97% dos prados de flores silvestres do bloco de países desaparecendo desde a Segunda Guerra Mundial.

Muitas borboletas, abelhas, libélulas e mariposas dependem dessas flores para prosperar.

Os polinizadores de insetos são vitais para a manutenção da saúde do ecossistema e para a segurança alimentar global.

Os insetos são necessários para manter a existência de 75% das espécies cultivadas, 35% da produção global e até 88% das espécies de plantas com flores.


Foto: Brent Council
Fonte:Eliane Arakaki / ANDA

   
       
 
05/12/2019 - Em audiência, Célio Studart defende fim da matança de jumentos para consumo
05/12/2019 - Número de onça-pintadas volta a crescer na mata atlântica; diz censo
05/12/2019 - *O papel econômico e ambiental do sucateiro
05/12/2019 - Semicondutores degradáveis e que esticam para aplicações de saúde e meio ambiente
05/12/2019 - Uber do entulho' ajuda no descarte adequado de resíduos
03/12/2019 - Filme biodegradável feito com fécula do cará pode reduzir uso de plástico na Amazônia
03/12/2019 - 300 milhões de pessoas ameaçadas por alta dos oceanos: “evolução do clima é irremediável”
03/12/2019 - Energia solar cresceu mais entre empresas no Brasil em 2019
03/12/2019 - A força feminina na defesa do meio ambiente

 

     
Notícias | Tradutor | Cursos | Artigos | Vídeos | Fotos | Calendário Ecológico | Eventos | Quem Somos | Contato
© Copyright 2011 Meio Ambiente News - Todos os direitos reservados