O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

  Pagina Inicial Tradutor Cursos Artigos Vídeos Fotos Calendário Ecológico Eventos Quem somos Contato  

 

Notícias
Stella McCartney: um êxtase de sustentabilidade
Tamanho da letra



Stella McCartney - primavera-verão 2020 - Moda feminina - Paris

Embora esta era - e o mundo da moda - seja obcecada pela sustentabilidade, poucos criadores e marcas parecem melhor posicionados do que Stella McCartney para impulsionar o movimento e dele tirar proveito.

A designer apresentou o seu último desfile numa manhã ensolarada de segunda-feira em Paris.

Stella McCartney sempre juntou ações (inclusive financeiras) às palvras e tem sido uma defensora muito ativa dos direitos dos animais e do meio ambiente.

A criadora parece tão determinada em garantir que os animais têm uma vida boa que projetou dezenas de vídeos de criaturas de Deus a copularem nos tetos do Palais Garnier, o lugar favorito dos desfiles parisienses.

Todos os tipos de criaturas, de zebras a tartarugas, passando por tatus e ursos, brincando alegremente.

Nem sombra da posição de missionário na maior casa de ópera deFrança nesta manhã.
 
O desfile marcou a sua primeira aparição nas passarelas desde que a LVMH anunciou, em julho, a aquisição de uma parte minoritária significativa da sua casa de moda.

Para o setor, foi uma grande reviravolta por parte do homem mais rico da Europa, Bernard Arnault, presidente e CEO da LVMH.

Isto porque Stella havia comprado, cerca de 18 meses antes, a participação de montante quase idêntico à grande rival francesa do grupo, a gigante do luxo Kering.

E o que torna o desfile de hoje ainda mais delicado do ponto de vista diplomático é que o império da LVMH inclui uma série de gigantes da moda - da Fendi à Louis Vuitton - que utilizam peles.
 
Como um aviso a todos aqueles que poderão pensar que as venderia, o programa totalmente verde de Stella MacCartney enumerava todas as suas atividades ambientais, com um cronograma.

Em 2001, por exemplo, quando abriu a casa, pôs fim à utilização de plumas e peles e suprimiu todas as colas de origem animal.

Em 2008, começou a usar algodão orgânico.

Em 2010, livrou-se do PVC.

Em 2012, as solas dos seus sapatos tornaram-se biodegradáveis.

Ainda em 2012, poliéster reciclado.

Em 2013, adeus ao angorá.

Em 2016, mais caxemira virgem para combater a desertificação das pastagens.

Depois de todo este entusiasmo e vídeos malandros, foi quase complicado encontrar tempo para nos focarmos na coleção em si, uma das mais ecológicas jamais apresentadas em Paris.

Foi quase uma sensação de anti-clímax, embora houvesse alguns looks realmente excelentes.
 
Excelentes calças de seda com riscas largas, blazers longos fluidos estilo boyfriend, vestidos de governanta sexy com mangas de morcego e um belo macacão de renda azul noite, com pernas ondulantes, ostentado por uma modelo obviamente muito orgulhosa do seu look

Stella propôs também um vestido profundamente decotado e brilhantemente drapeado e, mais tarde, um casaco de smoking sutil, no tom da estação - o azul-petróleo.

Uma coleção muito feminina, até modesta, embora na banda sonora a música de dança Right Now de Anti Up & Chris Lake & Chris Lorenzo repetisse constantemente as seguintes palavras: «Why do I feel so F..king Good? Why do I feel so F..king Good?»

Para este desfile misto, Stella até imaginou alguns fatos de homem descontraídos, mas cheios de frescura, e um coordenado encantador com padrão de flores silvestres, com calças, camisa e trench coat a combinar.

Antes de apresentar este desfile, Stella participou na conferência de imprensa LIFE, organizada pela LVMH na semana passada, para destacar o equilíbrio ecológico da marca.

E auto-proclamou-se "consultora não oficial Bernard Arnault sobre desenvolvimento sustentável".

 Arnault disse à audiência que estava "muito orgulhoso por Stella se juntar à LVMH”, acrescentando estar “animado por trabalhar com alguém com tanto talento".
 
Por enquanto, tudo corre bem para Stella e para toda a vida selvagem presente hoje no teto da ópera.



Foto: 
© PixelFormula
Fonte:

   
       
 
05/12/2019 - Em audiência, Célio Studart defende fim da matança de jumentos para consumo
05/12/2019 - Número de onça-pintadas volta a crescer na mata atlântica; diz censo
05/12/2019 - *O papel econômico e ambiental do sucateiro
05/12/2019 - Prefeitura contrata consultoria para trazer cemitérios ao século XXI
05/12/2019 - Semicondutores degradáveis e que esticam para aplicações de saúde e meio ambiente
05/12/2019 - Uber do entulho' ajuda no descarte adequado de resíduos
03/12/2019 - Filme biodegradável feito com fécula do cará pode reduzir uso de plástico na Amazônia
03/12/2019 - 300 milhões de pessoas ameaçadas por alta dos oceanos: “evolução do clima é irremediável”
03/12/2019 - Energia solar cresceu mais entre empresas no Brasil em 2019

 

     
Notícias | Tradutor | Cursos | Artigos | Vídeos | Fotos | Calendário Ecológico | Eventos | Quem Somos | Contato
© Copyright 2011 Meio Ambiente News - Todos os direitos reservados