O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

  Pagina Inicial Tradutor Cursos Artigos Vídeos Fotos Calendário Ecológico Eventos Quem somos Contato  

 

Notícias
Agressão ao meio ambiente
Tamanho da letra

Cada brasileiro produz de 600 gramas a um quilo de lixo por dia.

E o descarte do que não serve mais ao uso é um dos principais problemas do País.

Por isso, o Ministério do Meio Ambiente exigiu que os municípios implantassem seu Plano Integrado de Resíduos Sólidos, que nada mais é do que a adoção de medidas necessárias para o melhor descarte dos dejetos.

O prazo para a adequação às normas se encerrou em 2014 e 45,2% das cidades não se enquadraram.

O plano prevê 19 itens obrigatórios, que incluem metas de redução na quantidade de rejeitos por meio de reciclagem e reutilização de materiais, diagnóstico da situação dos resíduos sólidos, além de regras para transporte e demais etapas da coleta de lixo e limpeza urbana.

O adoção de tais medidas possibilita enormes ganhos.

Cada R$ 1 investido neste tipo de serviço gera economia de R$ 9 em outras áreas, como atendimento de Saúde, por exemplo.

Por outro lado, as cidades que não estão de acordo e as ignoram ficam sujeitas a duras sanções.

Uma delas é a impossibilidade de receber verbas federais.

Outra, atinge diretamente o prefeito, que fica sujeito a improbidade administrativa.

Motivos não faltam para que os gestores fiquem atentos à destinação correta dos materiais.

Se não for pela melhora nas condições de vida dos munícipes, que seja então pela manutenção de seus direitos políticos.

No Grande ABC, apenas uma das sete cidades ainda está em desacordo

Rio Grande da Serra, governada por Gabriel Maranhão.

E as marcas deste descaso à legislação se tornam visíveis, como flagrou a equipe de reportagem deste Diário ao encontrar montanha de entulho na área central do município.

O fato de estar situada em área de manancial torna ainda mais necessária a adoção imediata de providências.

Caso não seja possível a implantação do plano por limitações financeiras, que se recorra ao Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, como sugere especialista.

 

Fazer de conta que o problema não existe só vai piorá-lo.

Fonte:Diário do Grande ABC

 

 

 

   
       
 
26/10/2018 - Muro de Trump pode afetar ecossistema na fronteira com o México
26/10/2018 - Como os holandeses conseguiram suas ciclovias?
26/10/2018 - CELSE é premiada por estrutura de financiamento
26/10/2018 - Agressão ao meio ambiente
25/10/2018 - Eólica será segunda maior fonte de energia do Brasil em 2019
25/10/2018 - Essa é a primeira folha artificial capaz de criar oxigênio
25/10/2018 - *Significados de meio ambiente
24/10/2018 - Armazenamento de CO2 no fundo do mar ganha força na Noruega
24/10/2018 - O rato gigante que ameaça de extinção espécie de albatroz

 

     
Notícias | Tradutor | Cursos | Artigos | Vídeos | Fotos | Calendário Ecológico | Eventos | Quem Somos | Contato
© Copyright 2011 Meio Ambiente News - Todos os direitos reservados