O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

  Pagina Inicial Tradutor Cursos Artigos Vídeos Fotos Calendário Ecológico Eventos Quem somos Contato  

 

Notícias
Turbinas eólicas poderiam cobrir 40% do consumo atual de eletricidade na Alemanha
Tamanho da letra

Universität Freiburg*

A energia eólica é um pilar importante na recuperação da política energética da Alemanha.

De acordo com o governo alemão, o recurso deve cobrir 65% das necessidades de eletricidade da Alemanha até 2030, juntamente com a energia solar, hidroelétrica e biomassa.

Em um estudo recente, o Dr. Christopher Jung e o Dr. Dirk Schindlerda Universidade de Friburgo mostram que será possível cobrir 40% do consumo de eletricidade atual apenas com energia eólica até 2030.

O pré-requisito é que os operadores distribuam as plantas de maneira otimizada no continente alemão.

Para estimar a energia eólica utilizável, os pesquisadores desenvolveram um novo modelo tridimensional.

Como base para o seu cálculo, usaram o número de novas instalações em 2017. Se permanecer constante até 2030, a Alemanha pode atingir o valor calculado.

A equipe publicou recentemente suas descobertas na revista Energy Conversion and Management .

Uma ideia fundamental dos pesquisadores ao desenvolver o modelo foi aumentar a eficiência com a qual a energia eólica é usada.

Os cientistas mostram que, em particular, a repotenciação – ou seja, a substituição de plantas velhas e pequenas por outras maiores e mais novas – permite enormes aumentos nos rendimentos de até várias centenas de por cento.

Como resultado, o custo de geração de eletricidade, que é criado quando a energia é convertida em eletricidade, pode ser reduzido significativamente a um nível comparável ao do carvão marrom.

No entanto, para atender as atuais metas de expansão do Governo Federal, uma parcela significativa das 30.000 turbinas eólicas deve ser renovada e 6.000 sistemas adicionais devem ser instalados adicionalmente.

Com base no modelo dos pesquisadores, os recursos eólicos disponíveis podem ser determinados para todos os tipos de plantas comuns.

Além disso, o alvo de expansão pode ser ajustado conforme desejado.

Usando o modelo, os cientistas podem desenvolver e avaliar cenários em que a densidade de plantas, a estratégia de expansão e a intensidade de repotenciação são variadas.

O modelo também permite uma distribuição espacial equilibrada.

“Em princípio, podemos evitar uma concentração desproporcional em certas regiões”, resume Jung.

Além disso, o algoritmo leva em conta que o número de novas instalações a serem instaladas é mantido o mais baixo possível.

“Isso minimizaria as interrupções na paisagem, levando em conta a paisagem e a conservação da natureza”, diz Schindler.

Referência:

Jung, C., Schindler, D., Grau, L. 2018. Achieving Germany’s wind energy expansion target with an improved wind turbine siting approach. Energy Conversion and Management 173. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enconman.2018.07.090

 

* Tradução e edição de Henrique Cortez

Fonte:EcoDebate

   
       
 
15/09/2018 - De mocinho a vilão ambiental: conheça candidatos para substituir plástico
12/09/2018 -  Leis de proteção do meio ambiente também permitem viabilizar pesquisas científicas
12/09/2018 -  Fungos podem ajudar a deteriorar resíduos plásticos em semanas, mostra estudo
10/09/2018 - Governo japonês pressiona outras nações para a legalização global de caça a baleias
04/09/2018 - Mudanças climáticas ameaçam valor nutricional de alimentos
04/09/2018 - Musaranho, o animal que pode contribuir para a cura da osteoporose
03/09/2018 -  5 Plantas para ficar no seu quarto e ajudar você a dormir melhor:
26/08/2018 - *Plantando águas: o que é possível pela restauração ecológica?
22/08/2018 - Conservar a Amazônia é questão ambiental, social e econômica

 

     
Notícias | Tradutor | Cursos | Artigos | Vídeos | Fotos | Calendário Ecológico | Eventos | Quem Somos | Contato
© Copyright 2011 Meio Ambiente News - Todos os direitos reservados