O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

  Pagina Inicial Tradutor Cursos Artigos Vídeos Fotos Calendário Ecológico Eventos Quem somos Contato  

 

Notícias
Quais alimentos são mais prejudiciais ao meio ambiente?
Tamanho da letra

Enquanto a humanidade enfrenta a ameaça do aquecimento global, estamos cada vez mais conscientes de como as escolhas que cada um de nós fazemos podem deixar suas marcas no meio ambiente. E isso é particularmente verdadeiro quando se trata do que comemos.

A agropecuária, a produção de alimentos processados e o transporte desses produtos são majoritariamente movidos pela queima de combustíveis fósseis, gerando gases de efeito estufa que armazenam o calor na atmosfera.

Cientistas medem esse impacto em "pegadas de carbono", expressas pelo volume de dióxido de carbono (CO2) produzido a cada 100 gramas de alimento no prato.

Com isso, é possível criar uma pirâmide baseada nos prejuízos que cada tipo de comida e guloseima causam para o meio ambiente.

Carne e laticínios ficariam na base, responsáveis pelos maiores danos, enquanto frutas, legumes e verduras são mais "verdes" e estariam no topo.

Alimentos à base de grãos, como pães, massas e doces, ocupariam as camadas intermediárias.

Essa abordagem, no entanto, não considera a quantidade de energia que nosso organismo absorve a partir desses alimentos.

Por exemplo: uma pessoa precisa de muito mais alface para obter o mesmo número de calorias que uma fatia de bacon.

Um estudo da Universidade Carnegie Mellon, dos Estados Unidos, indica que essa quantidade da verdura liberaria três vezes mais gases de efeito estufa para poder oferecer a mesma energia nutricional.

Legumes em conserva ou importados de produtores distantes poderiam ser ainda mais nocivos.

Em um artigo no American Journal of Clinical Nutrition, o cientista Adam Drewnowski, da Universidade de Washington, tentou levar esse aspecto em consideração ao calcular as emissões de carbono para cada 100 calorias de diferentes alimentos.

A partir desse ângulo, a pirâmide se inverteria: bolos e chocolates teriam uma pegada de carbono dez vezes menor do que o impacto de legumes em conserva ou congelados, por exemplo.

A carne vermelha tende a emitir metade dos gases que os ovos.

Isso não quer dizer que você tem sinal verde para liberar o seu lado "formiguinha" - afinal, há fortes indícios de que o excesso de açúcar leva a vários problemas de saúde.

Enquanto isso, legumes e verduras frescos, produzidos localmente, ainda são a melhor opção para o meio ambiente e para a saúde.

As informações abaixo podem ajudar você a tomar decisões mais informadas na hora de adotar uma alimentação mais equilibrada e sustentável.

-Pães produzem 50g de gás carbônico para cada 100 calorias ingeridas
-Chocolates produzem 59g de gás carbônico para cada 100 calorias ingeridas
-Doces e bolos produzem 81g de gás carbônico para cada 100 calorias ingeridas
-Carnes produzem 248g de gás carbônico para cada 100 calorias ingeridas

Fonte:
/ BBC

   
       
 
15/09/2018 - De mocinho a vilão ambiental: conheça candidatos para substituir plástico
12/09/2018 -  Leis de proteção do meio ambiente também permitem viabilizar pesquisas científicas
12/09/2018 -  Fungos podem ajudar a deteriorar resíduos plásticos em semanas, mostra estudo
10/09/2018 - Governo japonês pressiona outras nações para a legalização global de caça a baleias
04/09/2018 - Mudanças climáticas ameaçam valor nutricional de alimentos
04/09/2018 - Musaranho, o animal que pode contribuir para a cura da osteoporose
03/09/2018 -  5 Plantas para ficar no seu quarto e ajudar você a dormir melhor:
26/08/2018 - *Plantando águas: o que é possível pela restauração ecológica?
22/08/2018 - Conservar a Amazônia é questão ambiental, social e econômica

 

     
Notícias | Tradutor | Cursos | Artigos | Vídeos | Fotos | Calendário Ecológico | Eventos | Quem Somos | Contato
© Copyright 2011 Meio Ambiente News - Todos os direitos reservados