O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

  Pagina Inicial Tradutor Cursos Artigos Vídeos Fotos Calendário Ecológico Eventos Quem somos Contato  

 

Notícias
Retrocesso com o meio ambiente
Tamanho da letra

* Bruno Lyra

É avassalador o retrocesso ambiental no país e, por conseguinte, no Estado e na Serra, como partes da federação.

Não é algo isolado que se restringe ao Brasil: o mundo está vivendo um dissenso do humanismo, então o que é de interesse de grupos tende a se sobrepor aos interesses coletivos, com a balança pendendo sempre para aqueles que tenham o maior poderio econômico, político ou ambos.

Em pleno Copa o Congresso aprova lei que afrouxa o controle de agrotóxicos.

Muda o nome, agora é pesticida. Clara tentativa de ludibriar a opinião pública.

Como se não bastasse, tramita na mesma casa outro projeto de lei que prejudica a venda de produtos orgânicos.

Coincidência ou não, isso ocorre no momento em que estão se fundindo as duas maiores produtoras de agrotóxicos e outros insumos químicos para agricultura do planeta: a alemã Bayer e a norte americana Monsanto.

Em 2012 o Brasil reduziu a proteção ambiental, enfraquecendo o Código Florestal. 

No ES, uma nova lei estadual este ano afrouxou exigências no licenciamento ambiental.

Na Serra idem, embutida nas chamadas “10 medidas para a desburocratização” de empreendimentos.

Ano passado, o governo estadual tentou desconstruir o Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema).

Pássaros silvestres em gaiolas voltaram a ser vistos em qualquer lugar, em horas movimentadas.

Tem cada vez mais gente querendo a liberação da caça.

A APA do Mestre Álvaro acabou de ser reduzida em mil campos de futebol.

Língua negra fétida do rio Jacaraípe se espalha no mar do Barrote e é considerada como natural.

Há tempos não são criadas novas reservas ambientais expressivas na cidade e no estado. 

Da lama e metais pesados da Samarco que devastaram (e seguem devastando) o rio Doce, o oceano Atlântico, vidas humanas e a economia capixaba, sobraram acordos generosos que até agora só beneficiaram a mineradora e suas donas, as multimilionárias Vale e BHP.

A poluição do ar na Grande Vitória continua brava.

E tome acordos para construir praças de lazer como compensação, suspendendo processos contra as siderúrgicas.

Sangue humano com lixo hospitalar é jogado em rio que abastece a Serra e autoridades não divulgam o nome dos responsáveis, mesmo com a identificação das instituições de saúde nos invólucros.

E a resposta da Cesan é de que está tudo ok.

Desleixos a parte, o desafio ambiental permanece como uma das megas tarefas da humanidade no decurso desse século XXI.

Porque vivemos no planeta. Simples assim.

Fonte:portaltemponovo.com.br

   
       
 
19/11/2018 - Cientistas descobrem nova população de ursos polares
19/11/2018 - Bioplásticos: solução ambiental ou falsa promessa?
19/11/2018 - Nova regra do Código Florestal pode levar ao aumento do desmatamento na Amazônia
18/11/2018 - Como estas bolinhas para lavadora de roupas podem reduzir a contaminação dos oceanos
17/11/2018 - Universidade abre inscrições para Mestrado e Doutorado em Gestão Ambiental
16/11/2018 - Não mexam com a floresta
15/11/2018 - Boa notícia traz mais esperança para a sobrevivência dos gorilas das montanhas e das baleias-comuns
13/11/2018 - Prazo do Cadastro Ambiental Rural encerra dia 31 de dezembro
13/11/2018 - Futura ministra defende projeto que moderniza lei de pesticidas

 

     
Notícias | Tradutor | Cursos | Artigos | Vídeos | Fotos | Calendário Ecológico | Eventos | Quem Somos | Contato
© Copyright 2011 Meio Ambiente News - Todos os direitos reservados